fbpx

Aos domingos, 8h15 no

Por Sempre Bem

Desafios da Boa Nutrição no dia a dia

Ter uma alimentação equilibrada é um dos pilares para se manter saudável a vida inteira. E a nutricionista Andressa Fontes traz dicas para uma boa nutrição. Anota aí!

Ter uma alimentação equilibrada é um dos pilares para se manter saudável a vida inteira. Por isso, Sempre Bem vai falar agora sobre o conceito da boa nutrição com Andressa Fontes, que é nutricionista.

Qual a diferença entre a boa e a má nutrição?

“O pilar principal de uma boa nutrição é que a gente predomine os alimentos que são mais naturais. O ideal é priorizar o consumo de alimentos na sua forma in natura, como eles vêm da natureza, por exemplo, as frutas e verduras”, explica a nutricionista. Mas as pessoas têm dúvidas com os produtos industrializados, que têm algum grau de processamento. 

Concentração de açúcar nos industrializados

Suco

Às vezes, acontece algumas pegadinhas que as pessoas se confundem, por exemplo, em relação ao suco, que muitas vezes é substituído pelo refrigerante. Porém aquele tem tanto açúcar quanto esse. 

De acordo com Andressa, quando se eleva a concentração de açúcar dentro do suco, não ocorre mais o crescimento de bactérias. Essa é a forma de conservação, mas está escrito na embalagem que é um produto sem conservantes e natural da fruta, que na verdade é rico em açúcar.

Há casos de sucos que não possuem a fruta dentro e são completamente artificiais, por isso, é tão importante checar a lista de ingredientes que tem dentro do produto.

Leia também (Diabetes: dieta é essencial para evitar complicações)

Molho de tomate

No molho de tomate também ocorre o mesmo processo do suco. “O ideal é que a gente prepare o molho em casa. O nosso corpo consegue aproveitar melhor os nutrientes do tomate quando se faz em forma de molho e na presença de um bom óleo, como o azeite, e porque aquecemos”, descreve a especialista.

Nos produtos industrializados, existe o extrato de tomate com adição de açúcar e conservantes, e outros que têm apenas temperos e não têm conservantes. 

Conforme a nutricionista, outro ponto importante é a embalagem, que deve ser de vidro para que não ocorra a migração das substâncias da embalagem para o molho. 

Proteínas 

“A sardinha é um alimento bastante popular e tem um preço superacessível, além de ser fonte de um nutriente fundamental chamado coenzima Q10, que tem efeito protetor do coração e preventivo de doenças, como diabetes”, comenta Andressa.

O frango, a sardinha e a carne são fontes de proteínas animais, que têm ferro, alto valor biológico e a qualidade proteica é excelente.

É possível uma pessoa ser magra e ter uma má nutrição ou está com um pouco de sobrepeso e ter uma boa nutrição?

Segundo Andressa Fontes, esses estereótipos não têm relação direta com o padrão alimentar. É possível ter indivíduos que são magros e não têm uma alimentação saudável, e a pessoa que tem sobrepeso não significa que ela tem uma má alimentação.

Confira o artigo (Probióticos podem combater obesidade e outras doenças)

Quais são as porções diárias recomendadas para as pessoas ingerirem?

“O ideal é que em todas as refeições se coloque cores, e faça pelo menos duas ou três refeições proteicas. O café da manhã deve ser mais proteico porque ele está relacionado com a saciedade e o controle de compulsão alimentar”, descreve a especialista. No caso do leite, a recomendação vai variar, mas o ideal é pelo menos três porções ao dia dele e seus derivados.

Quais são as necessidades suplementares para as pessoas que estão acima dos 60 anos?

Normalmente, algumas complicações e alterações acontecem nessa faixa etária, como a sarcopenia, que é uma diminuição da musculatura e está associada à perda de força nesses indivíduos. “Para melhorar isso, é necessário aumentar a ingestão de alimentos que são fontes de proteína (sardinha, frango e carne)”, ressalta a nutricionista.

Leia ainda (Reposição de vitaminas para idosos: por que é necessário?)

Em contrapartida, essas pessoas têm dificuldade de mastigação, logo, se utiliza o suplemento para conseguir atingir a recomendação de proteína, que é mais elevada nessa idade, e outros nutrientes que também estão associados. 

Para a profissional, a osteoporose é muito prevalente em pessoas acima dos 60 anos, por isso é necessário um ajuste do consumo de cálcio (seja suplementação, seja na alimentação), vitamina D e alguns outros nutrientes também. 

Às vezes, podem surgir algumas complicações por dentição ou dificuldades de deglutição. Se isso altera o padrão alimentar, a suplementação é quase que necessária. 

Conteúdos relacionados

 Matéria originalmente veiculada no programa de 10 de novembro de 2019.